sábado, 3 de outubro de 2015

COMPLETUDE

A solidão senta-se à mesa comigo
e me diz coisas tão bonitas de poesia
que eu me torno seu fiel escudeiro.
Eu a protejo de olhares suspeitos
e de maus caminhos a quererem
muito bem querer em desalinho.
Ela, por sua vez, gentilmente, me fala dos meus segredos
pede que eu me escreva por inteiro
e escolhe o meu melhor silêncio
só pra me fazer mais lindo.
Eu me apaixono, sem dor, com o seu doce jeito
com essas curvas minhas que desenham o seu rosto
e essa alma mais de dentro me fazendo carinho
até que eu me entenda amor.

Márcio Ares. 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário