sábado, 30 de julho de 2016

CULPADO



a razão da minha vida não está na alegria lá de fora
está no livro à minha cabeceira
nas memórias a que estou sujeito
no meu difícil caminho entre a cama e o banheiro
nos comprimidos de hora em hora
nesse romance de eterno recomeço e um milhão de paradas
nas páginas em branco agora já tão sem jeito
na força que acelera o fôlego para dobrar o travesseiro
no meu olhar para o nada

não, a razão da minha vida não está na alegria lá de fora
está no amargo que se enamorou de uma existência maior
até eu ficar  velho muito cedo
até o fim mais triste que eu bem sei agora

Márcio Ares. 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário